C - Ex-Corregedores-Gerais

Milton Sebastião Barbosa (1966) Gilvan Correia de Queiroz (1971 - 1974) Jorge Ferreira Leitão (1974 - 1975) José Dilermando Meireles (1984 - 1985) João Carneiro de Ulhôa (1985) Marluce Aparecida Barbosa Lima (1985) Lenir de Azevedo (1985 - 1986) Pedro Sobreira Pirajá (1987 - 1988) José de Nicodemos Alves Ramos (1989 - 1990) Fernando Reis Lima (1990) José Lourenço de Araújo Mourão (1991) Elvan do Nascimento Loureiro (1992) Adilson Rodrigues (1993 - 1994) João Alberto Ramos (1995 - 1996) Zenaide Souto Martins (1997 - 2000) Amarílio Tadeu Freesz de Almeida (2001 - 2004) Marinita Maria da Silva (2005 - 2006) Vitor Fernandes Gonçalves (2007 - 2008) Lenir de Azevedo (2009 - 2010) Benis Silva Queiroz Bastos (2011 - 2014) Carlos Eduardo Magalhães de Almeida (2015 - 2016) Gladaniel Palmeira de Carvalho (2017-2018) José Valdenor Queiroz Júnior (2019 - 2022)

Área de identificação

Código de referência

BR DFMPDFT C

Título

Ex-Corregedores-Gerais

Data(s)

Nível de descrição

Dimensão e suporte

Área de contextualização

Nome do produtor

História do arquivo

No princípio do MPDFT, não havia a figura do Corregedor-Geral, entretanto a função de fiscalização esteve presente na instituição, na maior parte de sua existência. As atividades fiscalizadoras iniciaram-se em 1961, com uma regulamentação interna que determinava que os membros do Ministério Público apresentassem relatório de suas atividades funcionais ao Procurador-Geral de Justiça; atribuição dada pela Lei nº 3754, de 14 de abril de 1960, antes exercida pelo Procurador-Geral de Justiça em conjunto com o Conselho, por determinação da Lei nº 3434, de 20 de julho de 1958. Em 1962, essa função foi designada aos 1º e 2º Subprocuradores-Gerais. Em 1963, aperfeiçoando o processo de fiscalização, estabeleceram-se rotinas para a correição ordinária dos serviços a cargo dos dois Subprocuradores-Gerais, que deveriam ser auxiliados por outros membros; a correição ordinária seria realizada, por setores, nos meses de junho, julho e agosto de cada ano.
O primeiro Corregedor-Geral foi Milton Sebastião Barbosa, em 1966, por cumprimento do Decreto 53.387, de 31 de dezembro de 1963, que tratava das funções do Conselho Superior e da Corregedoria do Ministério Público do Distrito Federal. No entanto, o cargo de Corregedor-Geral funcionou poucos meses, devido ao Decreto 60.057, de 13 de janeiro de 1967, que revogou o decreto anterior, extinguindo, por consequência, a Corregedoria.
Embora não houvesse a Corregedoria, as atribuições desta foram designadas a Gilvan de Queiroz, entre 1971 e 1974 e, de 1974 a 1975, a designação passou a Jorge Ferreira Leitão. O Procurador-Geral de Justiça acumulou essa atribuição, entre 1967 a 1971 e 1975 a 1985, por força da Lei nº 3754, de 14 de abril de 1960, anterior ao Decreto 53.387, de 31 de dezembro de 1963, revogado em 1967.
O Decreto 88.687, de 6 de setembro de 1983, criou, no âmbito do Ministério Público do Distrito Federal, o Conselho Superior e a Corregedoria-Geral. No que se refere a esta última, dispunha que ela seria exercida por um dos membros do Conselho Superior, por este escolhido, em votação secreta, com mandato de um ano, vedada a recondução para o período imediato. Entretanto, entre 1984 e 1985, os Procuradores-Gerais de Justiça continuaram como Corregedores. A primeira Corregedora-Geral autônoma, especificamente designada para a função, foi Marluce Aparecida Barbosa Lima. Somente em 1985, a eleição para Corregedoria-Geral realizou-se nos moldes do Decreto, com Lenir de Azevedo.
A Lei Complementar 75, de 20 de maio de 1993, mudou as regras para o cargo de Corregedor-Geral, que vigoram até nos dias atuais. A escolha se dá por meio de lista tríplice, composta por Procuradores de Justiça e elaborada pelo Conselho Superior; os membros deste são impedidos de compor a lista. O Corregedor-Geral é nomeado pelo Procurador-Geral de Justiça para mandato de dois anos, admitida uma recondução por igual prazo; pode ser destituído do cargo antes de completar o mandato, por iniciativa do Procurador-Geral de Justiça, após o voto de dois terços dos membros do Conselho Superior. Outra novidade trazida pela Lei foi a de os suplentes do Corregedor ser os remanescentes da lista tríplice. O Art. 63 explicita que a Corregedoria é o órgão fiscalizador das atividades funcionais e da conduta dos membros do Ministério Público, no entanto a função de fiscalização encontra limite na autonomia funcional dos membros, que constitui princípio institucional consagrado na Constituição Federal de 1988 (Art. 127, § 1º). O primeiro Corregedor-Geral eleito de acordo com essas regras foi João Alberto Ramos.
Para saber sobre a estrutura administrativa e as atribuições da Corregedoria-Geral do MPDFT, consulte o Regimento Interno do MPDFT.

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Esta Galeria apresenta os titulares do cargo de Corregedor-Geral do MPDFT e o período em que exerceram essa função.

Avaliação, seleção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Área de materiais associados

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Área de controle da descrição

Identificador da descrição

Identificador da entidade custodiadora

Regras ou convenções utilizadas

Estado atual

Nível de detalhamento

Datas de criação, revisão, eliminação

Criação: 16/01/2020. Revisão: 28/01/2020.

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Nota do arquivista

Arquivistas responsáveis: Adineide Itacaramby de Almeida (criação); Thalissa Amália Velter Duarte (revisão).

Nota do arquivista

Historiadora responsável: Samarina Soares de Sá (pesquisa histórica).

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados