PGJ - Ex-Procuradores-Gerais de Justiça

Dario Délio Cardoso (1960 - 1961) Walter Ceneviva (1961) Leopoldo César de Miranda Lima Filho (1961 - 1963) Attila Sayol de Sá Peixoto (1963 - 1964) José Júlio Guimarães Lima (1964 - 1975) Hélio Pinheiro da Silva (1975 - 1979) Dimas Ribeiro da Fonseca (1980 - 1982) José Dilermando Meireles (1982 - 1985) João Carneiro de Ulhôa (1985 - 1987) Geraldo Nunes (1987 - 1992) Marluce Aparecida Barbosa Lima (1992 - 1996) Humberto Adjuto Ulhôa (1996 - 2000) Eduardo José Oliveira de Albuquerque (2000 - 2002) José Eduardo Sabo Paes (2002 - 2004) Rogerio Schietti Machado Cruz (2004 - 2006) Leonardo Azeredo Bandarra (2006 - 2010) Eunice Pereira Amorim Carvalhido (2010 - 2014) Leonardo Roscoe Bessa (2014 - 2018) Fabiana Costa Oliveira Barreto (2018 - 2022)

Área de identificação

Código de referência

BR DFMPDFT PGJ

Título

Ex-Procuradores-Gerais de Justiça

Data(s)

Nível de descrição

Dimensão e suporte

Área de contextualização

Nome do produtor

História do arquivo

Com a mudança da sede do Governo Federal do Rio de Janeiro para a nova Capital, foi editada a Lei nº. 3.754, de 14 de abril de 1960, que dispôs sobre a Organização Judiciária do Distrito Federal e criou o Ministério Público do Distrito Federal. Conforme a Lei, o cargo de procurador-geral de Justiça seria de livre nomeação e demissão do presidente da república, escolhido dentre os bacharéis em Direito com 6 (seis) anos, pelo menos, de prática forense.
Em observância aos critérios definidos na Lei acima, o MPDFT contou, inicialmente, com os seguintes procuradores-gerais de Justiça: Dário Délio Cardoso, nomeado em julho de 1960 e exonerado a pedido, em fevereiro de 1961, após o fim do mandato do presidente Juscelino Kubitschek. Walter Ceneviva, nomeado em março de 1961 e exonerado a pedido, em setembro de 1961, após a renúncia do presidente Jânio Quadros. Leopoldo César de Miranda Lima Filho, nomeado em setembro de 1961 e exonerado, a pedido, em agosto de 1963. Áttila Sayol de Sá Peixoto, nomeado em agosto de 1963 e exonerado, a pedido, em abril 1964, após os eventos relacionados ao início dos governos militares. José Júlio Guimarães Lima, nomeado em abril de 1964 para dar continuidade às atividades ministeriais, foi exonerado, a pedido, em maio de 1975.
A nomeação de José Júlio Guimarães Lima se deu a partir da formação de lista tríplice. Trata-se do primeiro registro dessa forma de indicação no MPDFT, por força da Decreto nº 53.387, de 31 de dezembro de 1963, que criou o Conselho Superior e lhe atribuiu organizar as listas que se fizerem necessárias ao provimento do cargo, em comissão, de procurador-geral de Justiça. Entretanto esse decreto foi revogado pelo Decreto nº 60.057, de 13 de janeiro de 1967, extinguindo o Conselho Superior e, por consequência, a elaboração de lista tríplice. A Lei Complementar nº 40, de 14 de dezembro de 1981 prescreveu que a administração superior do Ministério Público dos Estados seria composta, dentre outros órgãos, pelo Conselho Superior, porém, nas atribuições desse, não menciona a escolha do Procurador-Geral de Justiça.
O Decreto-Lei n° 2.267, de 13 de março de 1985 reestruturou a carreira do MPDFT, por meio da transformação de cargos, e mudou a forma de escolha para procurador-geral de Justiça que, a partir disso, era nomeado dentre os procuradores de Justiça, embora não tenha mencionado os critérios de escolha entre esses. Até a edição desse ato normativo, não era necessário ser integrante da carreira para ser procurador-geral de Justiça, embora a maioria dos que ocuparam o cargo o fosse.
Com o advento da Constituição Federal de 1988, outras inovações foram adicionadas, como a formação de listra tríplice entre integrantes da carreira, para a escolha de procurador-geral de Justiça, para mandato de dois anos, permitida uma recondução; a nomeação é feita pelo presidente da república entre os três mais votados. A Carta Magna dispôs, ainda, sobre a forma de destituição do cargo, que se dá por deliberação da maioria absoluta do Poder Legislativo, na forma da lei complementar respectiva.
A norma referida é a Lei Complementar nº. 75, de 20 de maio de 1993. Acerca da eleição dos procuradores-gerais de Justiça, em seu art. 26, inciso V, estabelece que cabe ao procurador-geral da república o envio da lista tríplice para nomeação do procurador-geral de Justiça do Distrito Federal e Territórios. Esse dispositivo também define que o vice-procurador-geral de Justiça substituirá o procurador-geral de Justiça, em seus impedimentos; e, no caso de vacância, exercerá o cargo o vice-presidente do Conselho Superior, até o seu provimento definitivo, Art. 157. Dessa forma, atualmente, o cargo é ocupado com regras da Constituição Federal de 1988 em conjunto com a Lei Complementar nº. 75 de 1993.
Para saber da estrutura administrativa e das atribuições da Procuradoria-Geral de Justiça, consulte o Regimento Interno do MPDFT.

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Esta Galeria apresenta titulares do cargo de Procurador-Geral de Justiça e o período em que exerceram essa função.

Avaliação, seleção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Área de materiais associados

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Área de controle da descrição

Identificador da descrição

Identificador da entidade custodiadora

Regras ou convenções utilizadas

Estado atual

Nível de detalhamento

Datas de criação, revisão, eliminação

Criação: 03/01/2020. Revisão: 24/01/2020.

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Nota do arquivista

Arquivistas responsáveis: Adineide Itacaramby de Almeida (criação); Thalissa Amália Velter Duarte (revisão).

Nota do arquivista

Historiadora responsável: Samarina Soares de Sá (pesquisa histórica).

Zona da incorporação

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados